• Lu

Nossas viagens-treino

Atualizado: 19 de Fev de 2019

Fernando de Noronha, Uruguai, Chapada dos Veadeiros e Amazônia


Para nos colocar em teste como família viajante, decidimos há 2 anos mudar o nosso estilo de viagem de férias. Até então, buscávamos destinos mais tradicionais, hotéis e pousadas com maior conforto, mas ficávamos com a sensação de que eram lugares ótimos, mas que não tinham muito a ver com a gente.


Até que um dia conversando sobre isso com uma amiga, ela disse algo que me marcou: “Lu, quem decide se os filhos serão filhos de resort ou filhos de acampamento, são os pais. As crianças gostam de qualquer jeito, quem tem restrições de destinos e lugares para dormir normalmente somos nós adultos, e não os pequenos!”


Essa conversa abriu nossa cabeça para olhar destinos que não considerávamos porque pré-conceituávamos como “não é destino de criança” ou "vai dar muito trabalho". E também nos instigou a nos aproximarmos mais do nosso jeito de viajar, como ficar em Airbnb e em casas compartilhadas com locais, por exemplo.


E assim foram as nossas últimas 3 férias antes dessa viagem, que resumimos rapidinho aqui nesse post:


1) Fernando de Noronha

Dê um Google em “Fernando de Noronha com crianças” e você irá encontrar entre os primeiros resultados sites que não recomendam a ilha para crianças, por diversos motivos. Nossa experiência mostrou muito ao contrário do que dizem: passamos dias maravilhosos e inesquecíveis com a duplinha lá (Liz tinha 3 anos na época e Danilo 9 meses). E mostrou que não estávamos sós: tinha muita família de turistas com crianças e bebês na semana que fomos! Claro que alguns passeios acabam ficando restritos, por conta das trilhas extensas que eles não conseguem fazer ainda, mas não faltam atividades e belezas que eles podem acompanhar. Já no 1o dia, Liz entrou no mar e teve companhia de uma arraia na praia do porto!


Além da questão de nos testar em um destino mais difícil fisicamente falando, ele também é considerado um dos mais caros do Brasil, o que nos forçou a buscar opções mais econômicas: ficamos hospedados em casa de moradores locais, cozinhamos em casa todos os dias, só fizemos compras no Noronhão (supermercado onde os moradores compram, e muuuito mais barato que as vendas locais para turistas), andamos somente de ônibus e de carona (muito comum e seguro lá!).


Aprendizado de Noronha: foi maravilhoso, mas como eu estava amamentando o Danilo quase que exclusivamente ainda (ele comia pouco com 9 meses), foi bem exaustivo para mim. Então combinamos que nossa viagem só poderia ocorrer depois do desmame dele, pois uma semana foi tranquilo de aguentar, mas não seria o caso se estivéssemos viajando por um ano!


2) Uruguai

Dividimos a estadia entre Montevidéu e Colônia do Sacramento. A ideia lá era testar estar em um país diferente, trocando o idioma e a moeda. Ficamos somente em Airbnbs, cozinhando em casa a maior parte do tempo, e fazendo os deslocamentos entre cidades de ônibus. Encontramos um país muito tranquilo, mesmo Montevidéu que é a capital nos lembrou uma cidade interiorana do Brasil. Tem muitos parques, praias e opções para as crianças, e elas adoraram! Liz chorou no 2o dia porque "não entendo nada o que as pessoas falam!", mas no último já tava orgulhosa por saber falar coisas básicas e contar "de uno a diez!".


Aprendizado do Uruguai: O Danilo teve febre uma noite da viagem. Foi somente uma noite, mas que ele praticamente não dormiu e ficou muito incomodado. No dia seguinte, ficamos somente em casa cuidando dele e então ele melhorou e não teve mais nada. Como ele ainda não falava (estava com 1 ano e 3 meses), não conseguíamos saber o que estava acontecendo, o que foi muito ruim para nós, e por isso decidimos que só viajaríamos quando ele pudesse ao menos nos contar onde estava a dor, o que já sabe fazer hoje em dia.


3) Alto Paraíso/Chapada do Veadeiros (Goiás)

Já fazia muito tempo que queríamos conhecer esse lugar, e estivemos por 5 dias lá. O clima é bem seco, com muita trilha e deslocamentos de carro (não tem ônibus de linha na cidade). Ficamos em Airbnb com cozinha compartilhada, e tivemos a maravilhosa sorte de estar lá na mesma semana que aconteceu a Aldeia Multiétnica: "A Aldeia Multiétnica é um território na Chapada dos Veadeiros dedicado ao fortalecimento das culturas e lutas políticas dos povos indígenas e remanescentes quilombolas, com princípios de preservação, promoção e acesso ao patrimônio material e imaterial brasileiro." Também tivemos o prazer de conhecer a parteira e curandeira D. Flor, muito famosa na cidade!


4) Manaus/Amazônia

Da Chapada voamos para Manaus, onde ficamos alguns dias na cidade na casa de amigos e alguns dias em um hotel de selva, no meio da floresta! Foi uma experiência incrível, o hotel é margeado pelo Rio Negro, que forma uma "praia de água doce" onde as crianças se esbaldaram! Sem contar a comida maravilhosa, os animais (bicho preguiça, jacaré, boto, arara), e os sons noturnos da floresta. É de uma energia ímpar, um patrimônio de nosso país que precisa muito ser preservado!


Aprendizado de Goiás/Amazonas: Só alegrias! Danilo desmamou durante essa viagem, e apesar de todas as mudanças de clima (São Paulo - Cerrado - Floresta - São Paulo), as crianças não ficaram doentes (e nem nós). Enfrentamos bem os deslocamentos, as mudanças na culinária, etc e por fim nos consideramos aptos a sair pelo mundo com eles! :)



291 visualizações

@ 2018-2019 Mochilão com Mochilinhas

  • b-facebook
  • Instagram Black Round
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now